Mais uma (pequena) vitória da Udemo


A Revista Veja, edição nº 2089, de 03/12/2008, traz um artigo de um certo Gustavo Ioschpe (deve ser um alto funcionário do MEC ) questionando a nossa pesquisa sobre Violência na Escola. Ele não sabe- e com certeza não gostaria de saber- que os parâmetros para as nossas pesquisas foram dados pelo IBOPE, em 2003. Além disso, ele tenta desqualificar a pesquisa para concluir que "A maioria das nossas escolas está longe de ser essa refém da criminalidade que aparece nos jornais. As estatísticas colhidas pelo MEC pintam um quadro menos sombrio". Mais uma vez, a culpa é dos profissionais da educação e da imprensa. O que vale é a palavra do MEC !

A (pequena) vitória da Udemo, a que nos referimos no título, refere-se ao fato de que as matérias no nosso site estão sendo lidas por "críticos" como esse que, com algum esforço, podem vir a conhecer um pouco da nossa realidade e, com um esforço ainda maior, adquirir algum bom-senso.

Decálogo
a ser seguido pelos gestores para a solução dos problemas de infra-estrutura das Escolas Públicas Estaduais


1
Se não houver merendeira na escola,
não será fornecida a merenda;

2
Se não houver pessoa responsável pela Biblioteca, ela permanecerá fechada;

3
Se não houver escriturários e secretário,
de acordo com o módulo, não haverá entrega de documentos na DE;

4
Se não houver verba para compra
de material e manutenção da sala de informática, o local não será utilizado;

5
Se não houver recursos para reparos e vazamentos no prédio escolar,
não haverá consertos;

6

Se não houver recursos para pintura do prédio, o prédio não será pintado;

7

Se não houver verba para a contratação de contador para as escolas, não haverá prestação de contas à FDE;

8
Se não houver verba suficiente para a contratação de funcionários pela CLT,
o dinheiro será devolvido;

9
Se a mão-de-obra provisória
não for qualificada, será recusada;

10
Se as festas não tiverem o objetivo de integrar a escola à comunidade, não serão realizadas

A nossa escola é, por previsão constitucional, pública e gratuita. Portanto, ela tem de ser custeada pelos cofres públicos. Todas as omissões do Estado, com relação aos itens acima, deverão ser objetos de ofícios da direção às Diretorias Regionais de Ensino, a fim de isentarem o diretor de eventuais responsabilidades administrativas.
Toda e qualquer ameaça de punição aos diretores associados da Udemo, por tomarem aquelas atitudes, será objeto de defesa jurídica por parte do Sindicato, seguida de denúncia ao Ministério Público e propositura de Ações Civis Públicas contra o Estado, pelo não cumprimento das suas obrigações para com as unidades escolares e pelos prejuízos causados à comunidade escolar.