Busque em nosso site

Siga-nos no Twitter

 

 

AASP – Clipping – 02/09/2010

Golpe do montepio volta e preocupa Justiça e Abrapp

Estão crescendo os golpes envolvendo planos de previdência antigos e montepios como Capemi, Mongeral, CaixaGeral, PreviOuro e outros. Pessoas que entraram na Justiça questionando planos há muitos anos estão recebendo intimações falsas, informando que ganharam a causa, mas que precisam pagar as "custas" do processo para receber.

Os golpistas chegam a usar o nome verdadeiro dos juízes das varas de falências para dar credibilidade ao documento, diz o promotor Eronides Aparecido Rodrigues dos Santos, da Justiça de Falências de São Paulo. Só neste ano, 16 pessoas procuraram o setor de Falências com cartas desse tipo. Já a Associação Brasileira das Entidades de Previdência Privada (Abrapp) chega a receber seis ligações por dia de pessoas que receberam cartas desse tipo.

O estelionatário obtém os dados das pessoas nos processos e envia a carta com a notificação falsa dizendo que a vítima tem R$ 30 mil, R$ 40 mil e até R$ 50 mil a receber e especifica vários custos que, somados, vão de R$ 1 mil a R$ 3 mil. Na carta, há um telefone de contato no qual o golpista atende dizendo ser do Fórum.

Ele explica que é preciso depositar as "custas" do processo para o dinheiro ser liberado e pede o número da conta da vítima. O golpista vai ao banco e simula um depósito no terminal eletrônico, colocando um envelope vazio na máquina, ou um cheque roubado, o que faz o valor aparecer na conta do cliente até ser feita a compensação.

Quando a pessoa vai ao banco e vê o valor bloqueado, passa a acreditar no golpista e deposita o dinheiro na conta que ele indica -aberta em nome de laranjas ou com nome falso. Quando a vítima liga para confirmar o depósito, o golpista ou seu comparsa corre e saca o dinheiro.

Em alguns casos, quando a vítima liga para confirmar que depositou o dinheiro, os golpistas voltam à carga e dizem que acharam outro processo e que a pessoa pode depositar mais. "Uma senhora foi quatro vezes ao banco depositar um total de R$ 20 mil, pois achava que receberia R$ 200 mil", diz Santos.

As vítimas dos golpes são em geral os idosos e incluem pessoas instruídas, como advogados ou médicos. Há até o caso de um advogado que marcou de entregar o dinheiro ao golpista na porta do Fórum e resolveu subir para ver o processo e acabou descobrindo o golpe.

O número de pessoas ligando para a Abrapp para falar do golpe preocupa a instituição, diz o assessor Creston Portilho. "Temos casos em todo o Brasil", diz. Houve até um senhor que, mesmo avisado do golpe, disse que iria depositar o dinheiro porque "era pouquinho". Outra senhora, moradora em um bairro nobre de São Paulo, depositou R$ 5 mil depois que foi orientada pela advogada que o negócio era regular. O telefone da Abrapp para quem quiser informações é o 11 3043 8782. Quem receber a carta pode também procurar a polícia ou a delegacia de estelionatos de sua cidade.