Leituras

 

 

UDEMO | 04/09/17 12:20 | Atualizado em 4/09/17 12:32


Vantagens e Desvantagens de se Estudar em Grupo

Elogiados por uns e criticados por outros. Os grupos de estudos estão entre os temas que dividem opiniões. Enquanto alguns estudantes têm o desempenho atrapalhado pelo método, outros encontram no recurso uma maneira de reforçar assuntos com ajuda de pessoas que compartilham o mesmo objetivo.

Marcus Vinícius Moura, aluno do curso de Direito, começou a estudar em grupo desde a época do vestibular e percebe resultados mistos na experiência. Para o estudante, essa é uma oportunidade de aprender, ensinar e desenvolver a comunicação, que é uma das habilidades mais exigidas no mercado de trabalho. No entanto, o futuro advogado considera que o compromisso com os outros é essencial para tudo funcionar bem.

— Faço parte de um grupo com outras duas pessoas e tem dado certo. De maneira geral, nossas notas não mudaram tanto assim, mas nossa capacidade de assimilar e argumentar melhorou bastante. É interessante porque tenho a chance de receber e passar conhecimento ao mesmo tempo. Cada um ensina a área que sabe mais, compartilhamos anotações de aula e tentamos fazer resumos juntos — relata Marcus.

A ideia central nos grupos de estudos é de que os alunos possam trocar experiências livremente, transmitindo o que entenderam melhor e corrigindo as fragilidades. Para Victor Novaes, professor e supervisor de Ensino Médio no CEL International School, essa é uma chance de debater aquilo que foi ensinado na escola de forma mais descontraída.

— Os grupos de estudo são diferentes do método individual e valem a pena para quem tem dificuldade de aprender sozinho. Os estudantes passam conhecimento entre eles e isso pode fazer bem tanto no colégio quanto no Enem. É importante lembrar que não há forma melhor nem pior de estudar. Isso depende de cada pessoa. Se os alunos têm ritmos de aprendizado muito diferentes, estudar em grupo pode até atrapalhar — conta Victor.

Vantagens e desvantagens do grupo de estudo

  • Uma das vantagens de se estudar em grupo é a troca de experiências e conhecimentos
  • Os estudantes também podem compartilhar anotações e estratégias de aprendizado
  • Quem tem dificuldade de estudar sozinho tem nos grupos o incentivo para não desanimar
  • Mas uma desvantagem pode ser a dificuldade de manter o foco com várias pessoas falando ao mesmo tempo
  • Outra desvantagem são as diferenças na velocidade de aprendizado. Deste modo, uns podem ficar para trás, enquanto os outros perdem a paciência com os mais lentos
  • Outra dificuldade é conciliar a agenda de cada estudante.

Essas diferenças entre os alunos são um ponto controverso na hora de estudar com outras pessoas. À medida que permitem que os integrantes aprendam conceitos novos, elas também causam divergências que dificultam a troca de conhecimento. A estudante Elisabeth Reis vai fazer o Enem 2017 e deixou de estudar em grupo para o exame. Para ela, que pretende cursar Psicologia, estar acompanhada apenas dos livros tem contribuído mais para a concentração.

— Eu adorava estudar em grupo porque tínhamos uma ótima relação, mas isso atrapalhava o meu rendimento. Eu ficava confusa frequentemente porque perdia tempo estudando algo que já sabia, ou então não conseguia acompanhar a velocidade dos outros. Nem todo mundo está no mesmo nível e algumas pessoas não têm paciência. Os objetivos às vezes são muito diferentes. Já fiz o Enem duas vezes e a nota da redação foi de 500 para 985 desde que saí do grupo — argumenta a estudante.

As principais críticas aos grupos de estudos, por parte de educadores e alunos, são os problemas com a falta de atenção e os horários apertados na agenda dos estudantes. Segundo Marcus Vinícius Moura, apesar de o saldo ser positivo, alguns desencontros já comprometeram o fluxo de seu grupo de estudos.

— O último sábado foi o primeiro em muito tempo que conseguimos nos encontrar para estudar. Às vezes alguém tem um show para ir, enquanto outro tem que ir ao médico. E com isso os estudos podem ficar de lado, o que é perigoso para quem vai tentar o vestibular. Comecei a estudar em grupo porque vários professores aconselhavam e tem sido ótimo. As pessoas só precisam estar preparadas para os contratempos que surgem — pontua Marcus.

A diversidade de alunos dentro dos grupos de estudo é algo que Victor Novaes entende bem. Para o educador, há um consenso entre alunos e professores de que estudar acompanhado não serve para todos. Victor ressalta que é importante o candidato se conhecer bem e saber o que esperar dos grupos de reforço:

— Estudar em um grupo muito heterogêneo também pode dificultar o aprendizado. As escolas precisam valorizar cada vez mais as atividades em grupo, debates e seminários, mas também perceber que alguns preferem fazer leituras e resumos individuais. Isso porque os modos de aprender podem ser totalmente diferentes. Aquilo que funciona para mim nem sempre é ideal para todos.

Neste sentido, estudantes e educadores concordam os dois métodos podem funcionar, basta apenas que cada pessoa encontre entre os dois o jeito lhe deixe mais confortável para aprender. Feito isso, a dedicação é o que importa para o melhor resultado.

Fonte: UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA - O GLOBO – 01/09/2017 – RIO DE JANEIRO, RJ


 

 

 
Filie-se à Udemo
Decálogo
 
 

 
 
 
Parceria UMC